Reflexões

Por vezes perdemo-nos completamente e dá vontade de não fazer nada, ao mesmo tempo vem a sensação de impotência e achamos que se não fizermos alguma coisa nada acontece. Dilemas das mentes que trabalham muito! Todas as mentes são assim, aliam-se ao ego e entram em luta connosco. Torna-se importante abraçar estas personagens, sorri-lhes, ama-las muito e fazer com que caminhem connosco. A vida é perfeita em todas as suas imperfeições.

Não se pode acreditar em tudo o que se pensa! Muitas vezes os pensamentos desafiam-nos a ir mais longe, mas outras vezes bloqueiam-nos de ir mais além. Normalmente é o medo que está sempre presente. Medo da perda, medo da solidão, medo do apego, medo de ser bom demais, medo do próprio medo!

O ser humano é complexo! Mas é um bichinho muito interessante. Por norma temos mais poder do que aquele que achamos que temos, mas para acreditar nele temos de nos olhar ao espelho e gostar do que vemos. Difícil? Claro que sim, muitas vezes! As crianças precisam de ser educadas a valorizarem-se. Não a acharem que são pequenos reis e que podem fazer tudo o que querem. Mas sim, a respeitar o seu tempo, o seu corpo, o seu desenvolvimento e o do próximo também.

Para que isto aconteça nada melhor do que estabelecer alguns limites. As crianças são muito inteligentes, muito espertas e testam o adulto a todo o instante. Cego é aquele que não quer ver. Trabalhar a mente das crianças desde cedo é fulcral para que estas tenham um futuro mais tranquilo. Se aprenderem a interpretar os seus pensamentos, a deixar ir os medos sem fundamento e a aceitar o que a vida lhes dá, será mais fácil, quando adultos, encontrar equilíbrio quando a vida os testar. Sim, porque vai testar!

Todos somos testados, e quanto mais conscientes dos desafios, mais delicados e criativos são os testes. Por vezes dá vontade de rir quando se olha para a vida e se percebe onde esta nos colocou. Parecemos pequenas marionetas comandadas por aquilo a que chamamos destino! Como se existisse um ser lá em cima que mexe os cordelinhos e tu cá em baixo nem sabes o que fazer… vou ou não vou? Falo ou não falo? Fujo ou fico? Escolho ou deixo ir? Parece uma montanha russa de emoções.

E depois lá vem um dia de sol para acalmar os ânimos e para relaxar! Ou não! A vida é perfeita para nos trazer o que necessitamos para aprender mais um pouco, para largar o que é necessário e para nos surpreender com tantas coisas boas. Cabe-nos a nós dar valor a isso mesmo. A tudo o que acontece. A fazer a birra na altura certa, a gritar muito alto, a sorrir e a amar muito! A vida é perfeita em todas as suas imperfeições.

Deixe uma resposta

© 2018 Guida Guardado