Testemunhos na primeira pessoa

Esquecemo-nos com facilidade da importância que temos, mas felizmente tenho à minha volta pessoas que quase diariamente me relembram disso. É muito fácil perder o meu valor, esquecer-me dele ou ignorá-lo mesmo. O valor que damos a nós mesmo é muito relativo e está sempre no fio da navalha.

O Universo nunca te deixa desamparado e faz-te chegar palavras vindas do coração na hora certa, no momento certo para que nunca te esqueceres da tua função, do ser especial e lindo que és. Hoje foi um dia complexo… e as palavras chegaram em forma de abraço, vinda de sítios diferentes. Só posso estar grata! Apesar das birras que tenho feito!!

A felicidade está sempre por perto, nós é que normalmente não a vemos. A maternidade tornou-se um grande desafio para mim. Pela descoberta de alguns problemas de saúde e por nunca ter acontecido. A tendência é apenas ver o lado mais negro das nossas preocupações.

Nos últimos tempos têm-me dito muita vezes que sou mãe de alguns seres que me rodeiam. Uns mais pequenos e outros mais adolescentes. Essas frases têm-me causado algum incomodo pela dificuldade em ver a realidade e apenas ficar focada na ausência de um filho biológico meu.

Até este mês estar a trabalhar diariamente com crianças e finalmente conseguir ver! Mãe é quem cuida, quem dá amor, colo, ralhetes, rebola no chão e ri à gargalhada com eles. Tem sido maravilhoso o amor que todos me têm dado, cada um à sua maneira. Desde dizerem que tiveram saudades, como dar um abraço em silêncio, ou mesmo elogiar o almoço que estava tão bom.

Também tem sido muito bom a maneira como me tenho exposto, como me tenho doado a cada um deles e me tenho permitido amar.

Durante tanto tempo não consegui ver como eu era mãe de cada um deles, por um bocadinho. Apenas porque me focava no grande desfio, naquilo que eu achava a minha grande lacuna e dificuldade. São estes olhos, que mostra a fotografia, que também me encantam todos os dias. Estes e todos os outros que sempre me olharam há mais de uma década e por vezes que chamam literalmente mãe.

É nestes momentos de reflexão que volto a pensar na importância que tenho e no valor que dou a mim mesma. Assim como na minha função, nesta vida, e me foco em mim e no meu coração. É tão fácil perdermo-nos…

Já para não falar nos meus quatro afilhados, sim porque vem mais uma a caminho! A sortuda que sou por me terem escolhido para este papel.

Como alguém me enviou:

“Tu tens um propósito…

Estás na Terra por uma razão: para aprender, para ensinar e para amar.

Lembra-te que fazes a diferença em cada vida que tocas.

Então, segue em frente e sê a melhor versão de ti, que tu podes ser!”

Deixe uma resposta

© 2018 Guida Guardado