Testemunhos na primeira pessoa

O tempo e a idade é algo que preocupa a nossa mente, pelos motivos mais diversos. A beleza da idade nem sempre é vista. Muitos desses motivos estão relacionados com as modificações do nosso corpo, com os problemas de saúde e com a proximidade da morte. Mesmo aqueles que dizem que não se preocupam com isso, já se olharam muitas vezes ao espelho e pensaram sobre isso ou já se queixaram de algumas modificações do corpo. Apreciar a beleza da idade é desafiante.

A idade nunca foi um tema que me preocupasse muito. Sempre tive um aspeto jovem e um corpo que me agradava. Ainda hoje não me dão a idade que tenho na realidade. No entanto, com o passar do tempo percebo que o corpo sofre algumas modificações e que devemos olhar para ele com bastante carinho e amor. Para além de passar a ter alguns cuidados se o quero continuar a ver bem.

Estas modificações levam-me a pensar que o tempo passa. Outra vezes crio crenças relacionadas com a idade que me levam a criar barreiras. Acho que, porque tenho aquela idade, há coisas que já não são possíveis. Quando consigo tirar esses véus, que eu mesma construo, percebo que há coisas que continuam a ser possíveis e sou apenas eu a manifestar os meus medos.

Mas aquilo que também sinto é que a idade me trouxe muitas outras coisas boas: discernimento, clarividência, conhecimento, experiência, aventuras e muitas memórias boas também. Hoje mais do que nunca, tenho coragem de dizer aquilo que penso, de passar a ponte para o outro lado sem saber o que lá está, de ser apenas eu.

Nos últimos tempos tenho feito amizades incríveis e conhecido pessoas novas de diferentes idades. Já para não falar das amizades que sempre existiram e que volto a trazer para a minha vida atual. Achar que só podemos confraternizar com semelhantes, e muitas vezes a idade pesa nesse sentido, também é uma crença. Há adolescentes com ideias fantásticas com quem é bom falar e pessoas mais velhas que são doidas saudáveis com quem te sentes em casa.

Tenho orgulho de estar onde estou, com a idade que estou e ser esta. Quando chegamos a um ponto em que fazemos aquilo que nos dá prazer e nos faz mais feliz, é tão bom. Sem complexos de idade própria ou da dos outros. Aquilo que tenho a perder não se compara àquilo que tenho a ganhar.

A beleza da idade é muito boa de apreciar, independentemente do ponto onde estás, porque cada ano tem um significado e cada ponto da tua caminhada é uma marco na tua vida.

This Post Has 3 Comments

    1. Eu também me sinto assim! Beijinhos 😘

Deixe uma resposta

Guida Guardado

Professora, escritora e criadora do projeto Kids & Grown-ups.

Subscrever Blog via email

Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.

Comunidade Kids & Grown-ups

© 2018 Guida Guardado