Testemunhos na primeira pessoa

Este é o título da história que terminei de escrever hoje. Por mais incrível que pareça há uma tendência para fugir daquilo que temos de fazer, daquilo que nos faz bem. As mudanças só podem ser boas… parece tão simples não é?

Nem sempre vimos o lado positivo das mudanças que acontecem nas nossas vidas. Pelo menos, eu por vezes tenho alguma dificuldade em ver esse tal lado positivo! Mas ele está lá, mesmo que só mais tarde eu o consiga ver, depois de umas quedas e de uma birras feias!

Todos os que passam por nós deixam marcas. A senhora que te sorri quando fazes a tua caminhada diária, o abraço carinhoso daquela criança que não te vê há uns dias ou mesmo as pessoas mais marcantes com quem partilhaste  ou partilhas a vida.

No entanto, há momentos que te baralham pois parece que o tapete te foge debaixo dos pés. Se as coincidências não existem, porque é que àquela hora estavas ali, porque é que me chegou determinada informação, porque é que é feita uma proposta irrecusável naquele dia, porque é que perdeste o comboio e só vieste no dia seguinte?

Considero-me uma mulher bastante afortunada. Quando paro e olho para todas as situações do meu presente e passado, consigo ver muita sincronicidade. Vejo a beleza com que me chegam dádivas, vejo a forma com que situações da minha vida desapareceram, vejo como pessoas se voltaram a aproximar na hora certa. É como se alguém estivesse sossegadinho a mexer os fios e a programar ao milímetro todos os meus passos.

A casualidade não existe, existe apenas a sincronicidade. Parece que há magia e conexão entre os acontecimentos e pessoas, através de fios invisíveis, que por breves segundo consegues ver pelo canto do olho e depois fogem, para que tudo pareça um pouco improvável de acontecer.

As duas crianças que veem na fotografia não se conheciam de lado nenhum, e no dia que estiveram juntas foi maravilhoso observar como se ligaram. Como se esses tais fios mágicos, invisíveis os enrolassem e os prendessem um ao outro sem que tivessem tempo de respirar.

Foi apenas um dia, e mal saiam eles que nenhum dos dois voltaria mais no dia seguinte. Mas naquele dia, ai, naquele dia foi mágico. O olhar deles entrelaçou-se e parece que se conheciam há muitas vidas! A sintonia das brincadeiras era notória e a necessidade de estarem juntos era tanta que nem eles sabiam explicar.

A vida tem situações que não tem uma explicação, aparentemente, fácil de entender. Assim como há mudanças que não percebemos porque acontecem. Mas percebi que quando essas mudanças vêm… elas só podem ser boas, porque o nosso caminho apenas vai em direção à felicidade.

A felicidade é tão forte que, para aparecer, pode ter de partir muros, criar tempestades e destruir tudo aquilo que eu acho seguro e certo. Um dia olho para trás e penso… tinha de acontecer tudo isto para eu chegar até aqui e ser esta…

… e apenas sorrio e agradeço a vida ter sido assim!

This Post Has 2 Comments

  1. UAU! Cada vez com mais “garra” e u cheia de saudades de a abraçar… Parabéns.

    1. Gratidão! Temos de combinar. Beijinhos 😘

Deixe uma resposta

Guida Guardado

Professora, escritora e criadora do projeto Kids & Grown-ups.

Subscrever Blog via email

Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.

Comunidade Kids & Grown-ups

© 2018 Guida Guardado