Testemunhos na primeira pessoa

Eu achava que ia contar uma história sobre a raiva… mas acabei por contar uma história sobre o amor. Ora, foi uma troca bem feita, pois falar de amor é sempre agradável. E tu, gostas de falar de amor?

Fui convidada para ir contar uma história ao Conservatório de Música David de Sousa, uma escola onde estive durante uma década e que deixou algumas marcas na minha vida. Como gosto de falar das emoções, quis escolher uma história que abordasse este tema. Tenho um livro fantástico sobre a raiva e achei que seria mesmo esse que ia levar.

A atividade estava toda pensada, até chegar ao momento de pegar no livro, nos materiais e sair. Mas quando dei conta o livro não aparecia. Procurei tudo e voltei a casa, nada…

Pensei que não valia a pena insistir, pois estava em cima da hora. Se ele não aparecia é porque não tinha de ser. Procurei outro livro e os meus olhos encontraram um que gosto muito: “Queres namorar comigo?” de João Ricardo. Adoro a história e as ilustrações!

Esbocei um sorriso para comigo e pensei: Ai querias ir falar sobre a raiva?! Enganaste-te, vais falar sobre o amor! Assim foi.

Resumidamente, um caracol apaixona-se por uma girafa e pede-a em namoro. Aparentemente um amor impossível? Sim, no entanto, o caracol consegue tocar-lhe no coração e ela percebe que namorar é um segredo muito importante.

E com todas as suas dúvidas, como qualquer ser, ela questionou o caracol: “E… queres namorar comigo que TAMANHO?” ao que ele respondeu docemente “O barulho de um beijo.”, quem não gostava de ouvir tais palavras?!

As várias definições de namorar que o caracol dá à girafa são mágicas e deixam-nos a sorrir pois a nossa memória traz-nos aqueles momentos doces que já vivemos (convido-vos a procurar a história e a ler).

Apesar de tantas declarações de amor, a girafa tem um grande problema a diferença entre ambos: “Mas eu sou enorme e tu pequenino de perder de vista.”. Então é aqui que o caracol lhe conta o segredo mais importante de todos: “Ficamos cheios de barulho por dentro quando se ama. Ficamos tão grandes, tão grandes que conseguimos chegar às nuvens!”

Para quê dar importância às diferenças quando se ama…

As crianças gostaram muito e fizemos muitas pausas para falar sobre o amor e as suas formas. Sobre amar pessoas do mesmo sexo, sobre o que é isso de namorar e sobre muitas outras coisas que vieram à conversa! Foi tão bom ouvir as suas ideias sem grandes tabus nem dificuldades.

Pintámos uma pedra e escrevemos uma frase sobre o que é o amor, na visão de cada um. Foi delicioso ouvi-los. Aqui ficam as ideias sobre o amor:

“Amor é … felicidade.”

“Amor é… uma sensação que sentimos na barriga.”

“Amor é… encontrar finalmente a pessoa que nós gostamos.”

“Amor é… dar beijinhos.”

E finalmente a frase de um menino que estava com dificuldade em definir o que era o amor… e depois muito baixinho disse-me:

“Amor é… dar abraços e dormir juntos.”

Tão bom, quando paramos e ouvimos o que as crianças têm para nos dizer.

Gratidão ao convite que me foi estendido e à experiência maravilhosa de poder falar de amor sem medos, tabus ou outras coisas que atropelam este sentimento que se manifesta das mais variadas maneiras.

Deixe uma resposta

Guida Guardado

Professora, escritora e criadora do projeto Kids & Grown-ups.

Subscrever Blog via email

Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.

Comunidade Kids & Grown-ups

© 2018 Guida Guardado